O Apologista da Verdade. Tecnologia do Blogger.

Pesquise no blog

Carregando...

Acessem o site oficial para baixar

sábado, 27 de outubro de 2012

Em Revelação (Apocalipse) 3:14, o Filho é chamado “o princípio da criação de Deus” (Al, ALA, IBB, So, BMD, LEB; NTR, NM, JRV e outras)  “a origem de tudo o que Deus criou” (BLH) ou “o princípio das criaturas de Deus”. (MC) Os trinitaristas interpretam a expressão grega usada em Revelação 3:14 para “o princípio da criação de Deus” como significando “a origem (ou ‘fonte primária’) da criação de Deus”. Adotam a ideia de que se quer dizer que o Filho era ‘o principiador da criação de Deus’, que ele era a sua ‘fonte real’, o Príncipe ou Cabeça da criação. Muitos argumentam que isto significa que o Filho foi o Originador ou Autor da criação. 
Em primeiro lugar, não é isto o que o texto está dizendo.
Não é isto o que está escrito. O texto não usa a palavra “principiador”, “originador” ou “autor” da criação. Dizer que “princípio” significa “principiador” seria o mesmo que dizer que “construção” significa “construtor” – uma afirmação absurda! O fato de as traduções usarem a palavra “princípio” ao invés de “principiador” é outra evidência positiva de que esta é a tradução correta.
Segundo, a palavra grega usada significa “princípio” e não “principiador”.
No idioma em que João escreveu o livro de Revelação, a palavra grega é arkhé. Esta palavra ocorre 58 vezes no texto grego da Versão Autorizada ou Rei Jaime, inglesa, mas nunca foi traduzida como ‘iniciador’ ou ‘originador’. Em todos os escritos bíblicos do apóstolo João (um Evangelho, três cartas e a Revelação), ele usa a palavra grega arkhé  23 vezes, e sempre no sentido de “princípio”. Só na Revelação ele usa esta palavra grega 4 vezes, e em três casos, João a coloca em oposição ao “fim”. (Re 1:8; 21:6; 22:13, Al) Por isso não é coerente pensar-se que em Revelação (Apocalipse) 3:14 o apóstolo João mude o significado de arkhé de “princípio” para ‘iniciador’ ou ‘originador’.
O Greek-English Lexicon, de Liddell e Scott, alista “princípio” como o primeiro sentido de ar·khé. (Oxford, Inglaterra, 1968, p. 252) De acordo com The Expositor’s Greek Testament (O Testamento Grego do Expositor), para se compreender Revelação 3:14 como significando que Jesus é “a fonte ativa” da criação ao invés de ser a primeira pessoa criada, a pessoa precisaria interpretar arkhé “como na filosofia grega e na literatura de sabedoria judaica [não bíblica], = aitía ou origem”. Os inspirados escritores bíblicos, contudo, jamais tomaram idéias emprestadas da filosofia grega.
Até mesmo alguns trinitaristas admitem isso
 O teólogo Albert Barnes diz a respeito da palavra grega ar·khé: “A palavra refere corretamente ao começo duma coisa, não à sua autoria, e indica corretamente primazia no tempo e primazia na categoria, mas não primazia no sentido de causar que algo viesse a existir. . . . Portanto, a palavra não é encontrada no sentido de autoria, como indicando que alguém é o princípio de alguma coisa no sentido de que fez com que viesse à existência.” — Barnes’ Notes of the New Testament, p. 1569.
Um que prefere a teoria do ‘principiador’ é o famoso perito grego Henry Alford. Todavia, em sua obra The Greek Testament (O Testamento Grego), Alford reconhece: “A mera palavra arkhé admitiria o significado de que Cristo é o primeiro ser criado: veja Gên. [49:]3; Deu. [21:]17; e Pro. [8:]22. E, assim os arianos o consideram aqui, e alguns que os têm seguido: por ex., Castálio, ‘uma obra-prima’: ‘omninm Dei operum excellentíssimum atque primom’: [significando “a primeira e a mais excelente de todas as obras de Deus”], assim como Ewald e ZüllIg.”
    Outros textos corroboram que Jesus Cristo é o “princípio” de todas as criações feitas por Deus
Jesus sempre falou de si mesmo como o Filho de Deus, o que prova que ele recebeu a vida de Deus, como seu Pai celestial. (Jo 10:36; 3:16; 5:26) Encarado do ponto de vista linguístico, o mero fato de que Jesus é o “Filho de Deus” indica um princípio, assim como o filho sempre é mais jovem do que seu pai. Quanto ao Pai, ele sempre existiu. A respeito Dele diz o salmista inspirado: “De tempo indefinido a tempo indefinido, tu és Deus.” (Sal 90:2) Não se pode dizer o mesmo a respeito do Filho, visto que esse termo indica algo diferente.
Em Colossenses 1:15, 18 (Al) está escrito, também, que ele “é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação. E ele é a cabeça do corpo da igreja: é o princípio [arkhé] e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência”. Ser ele o “primogênito dentre os mortos” significa que ele mesmo esteve certa vez morto, e ser ele o “primogênito de toda a criação” significa que ele mesmo foi criado pelo seu Pai celestial. (Re 1:5, 17, 18; At 2:22-32) Alguns argumentam que “primogênito” aqui apenas significa que Jesus é o principal e não que realmente tivesse nascido. Mas, ainda assim, uma vez que ele é o primeiro ou principal da criação, então foi criado e teve princípio!
Note quão de perto essas referências à origem de Jesus se correlacionam com expressões feitas pela “Sabedoria” figurativa no livro bíblico de Provérbios: “Iahweh me criou, primícias de sua obra, antes de seus feitos mais antigos. Antes que as montanhas fossem implantadas, antes das colinas, eu fui gerada; ainda não havia feito a terra e a erva, nem os primeiros elementos do mundo.” (Pr 8:12, 22, 25, 26, BJ) Muitos comentaristas concordam que se faz referência ao Filho como sabedoria personificada, que se trata realmente de uma figura de linguagem que se refere a Jesus na sua condição de criatura espiritual anterior à sua existência qual humano. Nas traduções IBB, BMD e BJ, diz-se que aquele que fala ali foi “criado”.
Não é a Jesus Cristo, mas a Deus que o apóstolo Pedro aplica o título “Criador” (Ktístes; KtisthV) em 1 Pedro 4:19. Esta é o único texto em que ocorre este título nas Escrituras Gregas Cristãs. As criaturas no céu atribuem o ato da criação “Ao que está sentado no trono, Aquele que vive para todo o sempre”. (Re 4:9-11) Jesus não é ‘O que está sentado no trono’, mas sim o “Cordeiro”. (Re 5:1, 6-7, 13; 7:9, 10; 10:5, 6) O próprio Jesus reconheceu que ele não era o Criador, mas sim o seu Pai. – Mt 19:4-6.
Tomando-se tudo isso em conta, a própria Bíblia torna claro que Jesus Cristo, o Filho de Deus, não é o Criador, mas que o Deus Todo-poderoso, o Criador, cujo nome é Jeová, usou seu Filho unigênito como seu instrumento na criação de todas as outras criaturas ou criações. (Jo 1:1-3; Ef 2:10, 15; 3:9; Col 1:16, 17; Re 19:13) Jesus Cristo é a mais antiga das criaturas de Deus, pois ele é o princípio da criação de Deus. A conclusão lógica é que aquele citado em Revelação 3:14 é uma criação, a primeira das criações de Deus, e teve princípio.


Traduções da Bíblia citadas neste artigo:

Al – Almeida Revista e Corrigida.
ALA – Almeida Atualizada.
BMD – Bíblia Mensagem de Deus.
IBB – Almeida da Imprensa Bíblica Brasileira.
JRV – Bíblia Sagrada, Evangelhos (1982), José Raimundo Vidigal, Editora Santuário.
LEB – Liga de Estudos Bíblicos.So Bíblia Sagrada (1980), Matos Soares, Edições Paulinas.
NM – Tradução do Novo Mundo, das Testemunhas de Jeová.
NTR – Revisão do Novo Testamento pela Imprensa Bíblica Brasileira




Os artigos deste blog podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o blog oapologistadaverdade.blogspot.com

7 comentários:

  1. A interpretações inferiores de trechos bíblicos dentro do Seio da Cristandade costumam ser derivadas de outras interpretações ruins de outros textos bíblicos que se originam de outros texto mal aplicados que por fim provem de alguma doutrina errada que já se cria antes de ser ler tais textos todos, sendo que essa doutrina vicia as interpretações.

    Ou no caso mais simples, a interpretação vem direto do pressuposto doutrinário que a denominação religiosa da pessoa prega.

    Rs

    No caso das interpretações que são dadas a Ap 3:14 provem das interpretações falhas que dão a textos como Col 1:15,16 que por sua vez vem da interpretação inexata que tiram de textos como Jo 1:3 que provêm da ideia de que Jesus é O Criador que é um subproduto da Doutrina da Trindade - Dogma que permeia o pensamento da Trindade e vicia suas interpretações de passagens da Bíblia, ou seja, eles não tiram a Trindade das Palavras Da Escritura e sim já criam previamente numa Doutrina e a embutem nas passagens escriturísticas interpretando seja o que for que elas disserem dentro desse Viés Trinitário, assim que se consegue enxergar "Trindade" no Antigo Testamento, pois a visão da pessoa já tá cheia de paradigmas na cabeça.

    E é isso, com isso quando o crente trinitarísta le Jo 14:28 dizendo que "O Pai é maior do que o Filho", ele não vai tirar a conclusão normal e natural, literal de que a intenção desse verso era falar que Deus é superior ao Cristo, ele precisa forçar uma interpretação que concorde com a Teologia Trinitária, assim as leituras da bíblia dessa pessoa terão:

    "Um" que não é um, o "Único" que não é o único, o "Filho" que não é filho, "Primogênito" que não é primogênito, "Princípio" que não é principio, o "produzido" que não foi produzido, o "Mediador entre Deus e os homens" que não media e sim é o próprio Deus, o "Cabeça" que em vez de chefiar tem o mesmo nível hierárquico e o "Maior" que não é maior, tudo isso por que? Não é porque essa pessoa já tinha na mente os paradigmas trinitários que o impediam de ler o texto da forma natural????

    A Trindade diz que o Filho é Eterno e Criador, (e baseou nisso em suas interpretações pessoais de por exemplo Jo 1:3 e Col 1:16) então Rev 3:14 não pode ser lido da forma literal para não contradizer a Trindade! Então se tirará da cartola outra interpretação....e é isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso! Exatamente isso! E para ajudar ainda essas pessoas tem um outro agravante bíblico de que o Diabo "o deus deste sistema de coisas tem cegado as mentes dos incrédulos." (2Cor 4:4)
      Sempre pensei como você descreveu acima!
      Saga: Gosto de ler seus comentários e respostas aos artigos. São "tiradas" bem inteligentes!

      Excluir
    2. Diferença é assim Ever,

      Quando uma TJ vai ler a bíblia ela não tem necessidade de se prender a nenhum Decreto Papal, concilio antigo ou a algum reformador famoso... quero dizer você lerá o texto puro, o que decidiu os Credos da Calcedônia, Niceia e Atanásio pra ela não tem a menor importância.

      Sendo assim, sua leitura da Bíblia terá:

      O "Um" que é um - Deut 6:4;Mal 2:10;Mar 10:18;I Cor 8:6;Ef 4:6
      o "Único" que é o único - João 17:3 ; Romanos 16:27 ; Judas 25
      o "Filho" que é filho - Jo 3:16
      O "Primogênito" que é primogênito - Col 1:16
      O "Princípio" que é principio - Apocalipse 3:14 e Provérbios 8:22
      O "produzido" que foi produzido - Provérbio 8:22,24 e 25
      O "Mediador entre Deus e os homens" que media, ou seja, não é a mesma pessoa que as duas partes mediadas - 1 Timóteo 2:5
      O "Cabeça" que chefia, tem hierarquia superior-I Cor11:3;1 Cr29:10
      O "Maior" que é realmente maior - João 14:28

      Tudo isso por que? A tentativa é que ao máximo possível se deixe o texto fluir de forma natural aceitando as palavras que ele diz, da forma como ele diz e não da forma que queríamos que ele dissesse.

      EXEMPLO 1
      Ora, quando um trinitário afirma que em Jo 8:58, Jesus está dizendo que é o Grande "Eu Sou O Que Sou" de Ex 3:14, ele tá vendo o quer quer ver. Ele diz que Jesus tá dizendo que "Eu Sou..." é o Nome Dele. O que não é o caso da passagem em questão. Jesus não tá se dando um nome ou dizendo que se chama "Eu Sou" nessa passagem.

      EXEMPLO 2
      Ou em Apocalipse quando dizem que o Cordeiro está sendo adorado, mais uma vez não leem o que tá transcrito e sim enxergam o que querem ver. Nessa visão todos adoram "Aquele que esta sentado no trono" (O Pai), mas justamente quando os louvores são ao Cordeiro não se fala em adoração AO CORDEIRO. (Ap 4:10, 5:14)

      Confira:

      (Ap 5:14)<-> ALMEIDA R.CORRIGIDA <-> E os quatro animais diziam: Amém! E os vinte e quatro anciãos prostraram-se e adoraram AO QUE VIVE PARA TODO O SEMPRE*

      Excluir
    3. -< *Leiam o contexto da visão em Ap 4:9,10 e não tenham dúvidas que Este adorado no capitulo 5 é o mesmo Ser que está sentado no trono, confiram mais outros textos e vejam quem é O Ser adorado no livro do Apocalipse, tirem os pressupostos e preconceito da mente e DEIXEM A ESCRITURA SAGRADA FALAR:

      # (AP 11:16-17) "Anciãos...adoraram A DEUS, dizendo: “Agradecemos-te, Jeová DEUS, O TODO-PODEROSO, AQUELE QUE É E QUE ERA"

      # (AP 19:4) "Adoraram a DEUS SENTADO NO TRONO...Louvai a Jah!”

      # (AP 7:10, 11 e 12) "Devemos a salvação ao NOSSO DEUS, QUE ESTÀ SENTADO NO TRONO, e AO CORDEIRO” 11 E todos os anjos...ADORARAM A DEUS, 12 dizendo: “Amém! A bênção, e a glória, e a sabedoria, e o agradecimento, e a honra, e o poder, e a força [sejam] AO NOSSO DEUS para todo o sempre. Amém.”

      NOTE --> como seguidamente se atribui a Deidade e a Adoração somente a Jeová Deus, o Pai que é o Ser Sentado no Trono, e excluem seguidamente ao Cordeiro e o Espírito Santo (Que nem mesmo é citado, será que foi "ESQUECIDO"?). Quando o livro de Apocalipse fala em "Deus" e "Nosso Deus" e "Aquele que está sentado no trono" são todas referências ao Pai, não a um Deus Trino, não ao Cordeiro e muito menos a uma hipotética "Terceira Pessoa" (Não sou eu que tó dizendo isso, quem não acredita pode conferir em sua própria bíblia, leia do inicio ao fim esse livro analisando com calma e fazendo anotações e me diz se não é mesmo Deus Pai).

      Note também que a grande multidão de salvos atribui a sua salvação a duas pessoas ao "NOSSO DEUS" (Restringindo a deidade apenas ao Pai) e ao Cordeiro (O excluindo da Deidade ao evitar chama-lo de "nosso Deus", separando os dois), excluindo uma suposta "Terceira Pessoa" da salvação.

      Excluir
    4. CONCLUSÂO:

      Enfim, a linguagem do livro de Apocalipse separa o Pai, usa o termo Deus somente para ele, todas referências acima sobre receber adoração são somente a Ele e a atividade da salvação e de governo, reino são somente à Ele e ao Cordeiro, sem um Terceiro.

      Enxergamos isso se não tivermos dogmas eclesiásticos da teologia do séc.IV dC viciando nossa mente. Católicos, ortodoxos, protestantes, pentencostais e adventistas passarão batidos por esses mesmos textos e NÂO ENXERGARÂO NADA Anti-trinitário nesses pequenos "detalhes" deles (ao mesmo tempo que chegam a ao feito de concluir que existem passagens que evidenciam a Trindade até mesmo no Antigo Testamento!!!), ao contrário ficam na Escritura caçando desesperadamente o que acreditam ser evidências trinas desde o Gênesis até o final da Revelação, pescando passagens convenientes aqui e ali enquanto ignoram um caminhão de passagens inconvenientes as quais nem são citadas...

      Excluir
  2. Gostaria de fazer uma pergunta:

    Se Jesus é uma criatura de Deus, como entender João 1:3 onde afirma que TODAS AS COISAS foram criadas por intermédio de Jesus?

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A palavra grega traduzida por “todas as coisas” é pán•ta, forma flexionada de pas (masculino). Pán•ta também pode significar “todas as OUTRAS coisas”, conforme o contexto. Isto se dá especialmente quando “todos” é colocado em relação a algo já mencionado, quando tem como referencial algo já citado.
      Jesus se refere a si mesmo como “o princípio [arkhé] da criação de Deus”. (Rev. 3:14, Versão da Comunidade Taizé) Outros textos corroboram o mesmo fato – que Jesus foi criado. Uma vez que ele foi criado, as coisas feitas por intermédio dele são as OUTRAS coisas.
      Para outros exemplos de quando a palavra pán•ta deve ser traduzida por “todas as outras coisas”, veja o artigo “Jesus é o Criador ou um Ser criado? – Exame de Colossenses 1:15-20”, acessando o link http://oapologistadaverdade.blogspot.com.br/2012/09/jesus-e-o-criador-ou-um-ser-criado.html.

      Excluir